Home / Destaque / Casa da família de homem acusado de estuprar a filha é destruída por populares

Casa da família de homem acusado de estuprar a filha é destruída por populares

Em uma atitude de revolta, populares invadiram a casa da família do homem acusado de estuprar a própria filha deixando a mesma praticamente toda destruída. A situação foi atendida pela Polícia Militar na tarde deste sábado, dia 25 de maio.

Segundo informações levantadas pela reportagem do Canal 4 TV, por volta das 17 horas a Polícia Militar recebeu uma denúncia anônima de que ao menos três pessoas teriam invadida a casa do homem identificado pelas iniciais “A. L.”, de 36 anos, no Conjunto Horst Waldraff, no Distrito de São Cristóvão.

Na chegada policial a casa foi encontrada praticamente toda destruída, com os vidros das janelas quebrados, as portas entortadas, além de vários objetos quebrados. Em conversa com os vizinhos, a Polícia Militar foi informada que o fato teria ocorrido devido ao crime pelo qual o mesmo é acusado, ter estuprado por pelo menos três anos a própria filha.

No local, não havia nenhum dos suspeitos de cometer o ato, assim como o homem não se encontrava no local. A Polícia Militar confeccionou o boletim de ocorrências sobre a situação.

O homem foi acusado de estuprar a própria filha e o caso ganhou grande repercussão. Embora o fato cause revolta, vale destacar que este tipo de ato, não pode ser visto como justiça, pois não colabora com o trabalho policial para resolver o caso e prejudica a família toda.

A casa atacada pelos populares não pertencia somente pelo homem e era utilizada também pelas filhas e mãe. De acordo com informações, a família que está sobre proteção de parentes, retornaria para casa depois que a situação fosse resolvida e com este acontecimento terá que buscar apoio para recuperar todos os objetos que foram destruídos.

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.