Home / Destaque / Casos de tuberculose sobem no Paraná e acendem o alerta

Casos de tuberculose sobem no Paraná e acendem o alerta

Fonte: Bem Paraná

A cada quatro horas, um novo caso de tuberculose é diagnosticado no Paraná. Segundo informações do Ministério da Saúde, enquanto o Brasil registrou queda de 0,63% no número de diagnósticos em 2018, no estado foi verificado crescimento de 10,9%, o que coloca o Paraná como uma das 12 unidades da federação que registraram alta da doença.

No ano passado, foram registrados um total de 2.248 novos casos de tuberculose no Paraná, o maior número de diagnósticos da doença desde 2013. Já em 2017, haviam sido registrados 2.027 ocorrências. Com o aumento de casos, a taxa de incidência por 100 mil habitantes subiu cerca de 10%, passando de 17,9 para 19,7.

Ainda assim, a Organização Mundial da Saúde (OMS) avalia que os números registrados no estado ainda são considerados aceitáveis. O estado, inclusive, pretende, até 2035, alcançar uma taxa de menos de 10 casos por 100 mil habitantes. Para tanto, desde o ano passado, em todo o Brasil, começou a ser implementado o novo Sistema de Notificação de Tratamento da Infecção Latente.

“A tuberculose é um problema de saúde pública que só controlaremos com monitoramento e alinhamento de esforços”, afirmou recentemente o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto, explicando que o novo sistema de abordagem tem dois focos: o primeiro, pessoas que tiveram contato com pacientes com tuberculose, que vivam com HIV, façam terapias imunossupressoras (tratamento de tumores e períodos de pré-transplante) e diabéticos; o segundo, identificar os casos sintomáticos respiratórios, ou seja, pessoas com tosse há mais de 3 semanas e que também devem ser encaminhadas para o teste.

De acordo com especialistas, 10% das pessoas infectadas vão desenvolver a forma ativa e contagiosa da doença em algum momento da vida. A transmissão ocorre de forma direta, ou seja, de um doente ao outro, principalmente pela via respiratória, ao falar, espirrar e, principalmente, ao tossir. A estimativa é que, em um ano, um indivíduo infectado pode contaminar, em média, de 10 a 15 pessoas. Essas bactérias podem se depositar em roupas, lençóis, copos e outros objetos

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.