Home / Destaque / Pesquisa aponta que 57% dos trechos de rodovia no Paraná apresentam problemas

Pesquisa aponta que 57% dos trechos de rodovia no Paraná apresentam problemas

Fonte: Bem Paraná

Os trechos de rodovia do Paraná (tanto estaduais e federais como concedidas e públicas) apresentaram uma leve melhora em 2018, mas a maior parte das estradas apresentam problemas. É o que revela a 22ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias, divulgada ontem pela Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Na edição deste ano, foram avaliados 6.330 quilômetros de estradas do Paraná, dos quais 56,56% apresentavam problemas (classificação regular, ruim ou péssima, com índices de 34,9%, 17,8% e 3,8%, respectivamente). No ano passado, esse mesmo estudo apontavam um percentual de 59,9% dos trechos com problemas (a classificação “regular” somava 35,5%, a “ruim”, 20,8%, e a “péssima”, 3,6%).

A leve melhora nos resultados se deve, principalmente, aos avanços com relação à sinalização – o que inclui placas de limite de velocidade, faixas centrais, laterais e defensas – elementos inseridos nas vias com a finalidade de reduzir o impacto de possíveis colisões. Neste ano, o percentual da extensão das rodovias com sinalização ótima ou boa foi de 53,7%, enquanto no ano passado havia sido de 42,1%. A melhora, de 11,6 pontos percentuais, pode ser explicada pelos avanços nos programas dedicados à adequação da sinalização, sobretudo em rodovias federais, aponta a CNT.

Por outro lado, as condições de geometria da via e do pavimento preocupam. Com relação à primeira característica, o estudo revela que 77,3% dos trechos de rodovia que cortam o Paraná são deficitárias nesse aspecto (acima da média do país, de 75,7%). O valor é um pouco melhor do que o verificado no ano passado (77,6%), mas a extensão considerada ótima teve queda (de 5,1% para 4,7%).

Já com relação ao pavimento, ele é deficiente em 53% da extensão (também acima da média nacional, de 50,9%). Na comparação com o ano passado, inclusive, houve uma considerável deterioração – em 2017, 49,5% das estradas eram consideradas regulares, ruins ou péssimas.

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.